Como guardanapo jogado no chão

Sujo, e desprezado fiquei quando me desampras-te.

Levando a minha dignidade e o pedaço do ser homem.

Sem dó, nem piedade abandonaste-me.

Não sei se o que vivemos foram passatempos ou ironias do destino.

Os intrigantes momentos de carícias e beijos não esclarecidos.

O pecado de amar-te + me consome.

Mesmo sabendo que não vale a pena.

Tentei ser gentil para comigo mesmo e fazer o meu coração deixar de te amar.

Está doendo e não consigo para de pensar em ti.

E não sei se você ainda usa

anel que te dei ou aumenos lês as cartas que carinhosamente te escrevi.

Te espero a todo instante,que um dia Voltes pra mim.19.9.2019/ Mepo

Colar prata

Tags

,

Sinto que não é muito distante das palavras carinhosa e verdadeiras,

Que algum dia me disses-te.

Gurdas-te-as dentro de ti como

Um segredo dos deuses, como um primeiro amor de infância nunca revelado.

sei sim que mesmo que não o digas, o nosso amor é Como prata.

Ele brilha, não se suja e nem perde o brilho e muito memos envelhece.

Com seus abraços e beijos tornaram-se mais relusentes mesmo no escuro.

Não o possuí por mercer,mas o seu coração nobre de amor assim o quiz.

Foi por essa maneira ingénua e meiga de amar e de se entregar que me apaixonei.

Não pude reconhecer a prior.Mas hoje sinto-me completo e Amado.

E tudo se reflet nesse colar prata,que comigo carrego e jamais me desgrudarei.

Pois nele te vejo e sinto saudadesde de te abraçar minha amada Querida.18.9.19.Mepo

Não estamos naquele, mas neste tempo

Não estamos no tempo de suposição

Não, mas estamos no tempo

Dos factos e análises lógicas e reais.

Não estamos no tempo do romantismo

Mas sim no tempo de viver o romantismo

Na forma nua e crua.

Não estamos no tempo, de adiar

Mas sim no tempo de fazer acontecer

E ver os resultados manifestando-se

E tirando proveito máximo em tudo.

Não estamos no tempo, de esperar

Que nos perguntem para prestar contas.

Mas no momento de prestar contas

Mostrando resultados benéficos e eficientes

Para cada assunto que nós preocupa.

Não estamos no tempo de fingir que nada

Esta acontecendo e que nos incomoda.

Mas sim,em tempo de expressar e exprimir o

Que sempre tivemos medo, e tirar fora.

Com medo de não ser aceite ou magoar alguém.

Não estamos no tempo de indecisão.

Estamos no tempo de tomar atitude ou seja

Iniciativa sem medo de errar,e esperar os resultados.

Não estamos no tempo dos mitos e tradições humanas prejudiciais.

Estamos no tempo do modernismo e ciência.

Não estamos no tempo, de agarar-se aos princípios

De que o homem somente pode tomar iniciativas para que o relacionamento dê certo. Mas sim , no tempo em que ambos, procuram surpreender um ao outro acendendo o fogo da paixão, resgatando até os mínimos detalhes, dos momentos inesquecíveis vividos.

O tempo corre, muda e nós devemos embargar nele, se adaptar as mudanças que com ele traz para não sermos extinguidos.

Autor:Mepo Caliheria/ 20.03.2018

Brigas de amor

As vezes quando estou só

Sem os meus amigos

A todo tempo passo olhando o céu

E fico pensando como foi que te perdi

E me pergunto o que farei

Nesta solidão, tão só

Como eu poderia advinhar

Onde foi que eu errei, será que

Mais uma vez não fui cavalheiro

Diz-me porque ,a nossa

Historia foi só tristeza

Sera que o nosso destino

Nao conscide, nem mesmo

Eu sei justificar.

Por favor não me deixe caido

Da-me a tua mão

Da-me a tua mão

Preciso estar tanto contigo.

Ao ritmo romântico do meu

Walkman fico viajando até

Chego a te ver chegando .

Tao perto da realidade me sinto

E quando te abraço desaparece

A tua imagem.

Autor:mepo Caliheria/ 2006

Sentimentos líquidos

São lágrimas de emoção

Que saem involuntariamente

Quer pela saudade e a emoção

Do reencontros de dois corações

Quer por pouco estiveram desunidos

Pelas circunstâncias da vida.

Mas nada importa dizer.

Somente olhar em seus olhos,

Poder confiar e chorar em seu colo e nunca mais sair dele.

Adormecer, acordar e saber que estou seguro

E que o tormento de 

 estar longe de ti, nunca desperte.

Somente o aconchegante conforto

Do abraço cinceiro de um amor verdadeiro.

Esse sim eu quero viver.

Tudo, viste e sentiste quando te abracei e chorei de emoção.

MEPO/28.11.2017

Pesamento Distante

Distante dos seus pensamentos

Mas perto do seu coração.

Preso nas lembranças doloridas

Pelo coração tolo, e medroso

Pelo facto de não querer sofrer

Uma desilusão ou ser magoado

Continuava deambulando, mergulhado

Na dúvida e no orgulho vazio e pobre

Nunca quiz enfrentar os seu parentes

Para me declarar o quão

Estou interessado em vós meu bem.

Acusando-me e me autodescriminando.

Me fiz refém da minha própria ignorância.

Conclusões apressadas e tristes me fizeram voltar atrás.

Coragem não tive suficiente para alimentar esse pobre

Amor.

O desamparo do coração alheio, desacreditou

A minha verdadeira intenção.

Duvidou e matou a esperança.

Tornando-me um cavalheiro

Covarde e egoísta.

Devia ter escutado o meu coração.

Seguido a sabedoria divina.

Para conseguir suportar e alcançar

A paz que tanto necessito.

Ela inocente do meu egoísmo. 

Nada Pude informar, ao menos  justifiquei
O porque da minha ausência.

Mepo/22.11.2017